Conheça a Organização Brasileira de JKD

Uma jornada!… Meu nome é Leandro corrêa Presidente da OBJKD

Organização Brasileira de JKD.

“Minha vida e minha jornada minha jornada e o Real JKD”Mestre-kato” Visite nossa página; http://objkd.com.br/

Agradecimento especial; Vinícius Lee.

1 – O Jeet Kune Do no Brasil:

Fundada em 2000 a Organização Brasileira de Jeet Kune Do (OBJKD) é considera uma das mais conceituadas escolas de filosofia e artes marciais do Estado do Rio de Janeiro.

Conta com acervo bibliotecário de mais de 450 obras em 4 idiomas (português, inglês, espanhol e francês) sobre Jeet Kune Do. Além disso, a referida escola oferece a seus alunos e coligados mais de 200 horas de palestras e cursos sobre Jeet Kune Do.

A Organização Brasileira De Jeet Kune Do (OBJKD) não vende diplomas nem oferece ou compactua com cursos do tipo aprenda Jeet Kune Do em “12 Lições”, “em 10 passos” ou “em um mês”.

Oferecendo o ensino, estudo e prática da filosofia e da arte marcial do Jeet Kune Do, de Sijo Bruce Lee, a mais de 15 anos, a organização tem por objetivo levar a seus amigos, alunos e parceiros o Jeet Kune Do real, que nas lições de seu criador Bruce Lee, é simples direto e eficaz.

2 – Estrutura:

A estrutura que a OBJKD leva para seus alunos é sem dúvida uma das melhores.

Todos os alunos participam do jantar anual de confraternização da organização. O aluno da OBJKD pode, a qualquer momento, requerer uma assembleia com um de seus instrutores ou Mestres para tirar quaisquer dúvidas. Além disso, o aluno tem a possibilidade de adquirir mais de 50 vídeos on-line e em português de ensino teórico e prático da filosofia marcial do Jeet Kune Do. O aluno pode, ainda, se preferir, consultar e adquirir livros com as

mais diversas técnicas marciais do Jeet Kune Do.

A OBJKD arca com os custos de 75% dos gastos de seus alunos filiados que participarem em torneios e eventos. Sendo que a OBJKD arca com todas as despesas dos alunos filiados que se destacarem em tais competições.

A organização se compromete em manter padrões de nível internacional para seus professores e alunos, seja em termos de conjunto técnico ou em termos de didática. A OBJKD busca incentivar seus alunos com o aprendizado da filosofia marcial pelos ensinamentos originais de Bruce. Enfatiza, dessa forma, a busca ativa pela compreensão filosófica da essência da arte marcial, o desenvolvimento dos princípios e valores morais, o aprimoramento físico e intelectual, assim como o aprendizado dos princípios formais oriundos do estudo do Jeet Kune Do, transmitidos ao redor do mundo por aqueles que seguem os ensinamentos de Bruce Lee.

A OBJKD mantém a originalidade dos ensinamentos de Bruce Lee transmitidos em suas academias. Tais ensinamentos são o núcleo central do Jeet Kune Do, composto por técnicas desenvolvidas, adaptadas e aprimoradas por seu criador. Além desse, o núcleo técnico marcial possuí um conjunto de princípios voltados à maximização da eficiência em combate (que corresponde a eficácia + velocidade+ tempo). Como não poderia deixar de ser, esta é a vertente adotada por alguns dos mais expoentes praticantes do Jeet Kune Do, tais como Ted Wong, Jerry Poteet, Tommy Carruthers, dentre outros. Por último, cabe esclarecer que a OBJKD não utiliza os nomes dos alunos de Bruce Lee para nenhum tipo de autopromoção e sim para que novos alunos entendam o real objetivo da organização.

A OBJKD adquiriu recentimente todo Material de Jerry Poteet inédito no Brasil assim adotando a escola Jerry Poteet academy para seus padrões.

“UM DIA NA VIDA: A EVOLUÇÃO DOS MÉTODOS DE TREINO DE BRUCE LEE

É difícil estimar a quantidade de pesquisas e experiências com as quais Bruce Lee ocupou sua curta vida. Comentário de Chuck Norris, ex-aluno seu:

“Nenhum outro ser humano treinava como Bruce – fanaticamente. Ele vivia e respirava isso do momento em que acordava, às 6 da manhã até ir para a cama à noite. Quando não estava malhando, estava pensando nisso. O cérebro dele estava sempre ativo, não descansava nunca.

Ele vivia pensando no que poderia fazer para se aprimorar ou quais novas invenções seriam possíveis. Vivia com a mentem constante atividade.

Não é de surpreender que Lee experimentasse diversas artes marciais e treinamentos complementares. Examinando seus programas de treino em um período de dez anos, surgem alguns fatos interessantes. Para começar, vemos um processo de frequência mudança, durante o qual o interesse de Lee passa do aprendizado e prática constante de novas técnicas ao abandono de técnicas anteriormente muito usadas, descartadas por serem consideradas pouco práticas ou desnecessárias e substituídas por treinamento complementar, numa tentativa de sustentar ou reforçar as técnicas que ele achava essenciais para combate sem armas eficaz.

Por exemplo, ao examinar seus registros de treino de 1963, descobrimos que Lee estava praticando o que teríamos de definir como método tradicional: executava “formas” ou um padrão de movimentos endêmico do sistema WingChun ou Gung Fu, clássica arte marcial chinesa. Ele se concentrava com mookjong (boneco de madeira). Segundo Taky Kimura e Jesse Glover, que conheceram e estudaram com ele durante esse período, Bruce praticava três ou mais horas diárias no boneco de madeira e fazia a primeira forma do WingChun algumas vezes por dia – antes dos exercícios de socos e chutes.

Por volta de 1965, Lee já tinha incorporado o “um-dois” (jab de direita, cruzado de esquerda) do boxe ocidental e a técnica do golpe com a parte posterior do punho (gwachoy) e seu arsenal do WingChun. O mais importante a ressaltar é que ele tinha começado a treinar com halteres na tentativa de desenvolver os antebraços, estava iniciando o programa para aumentar a resistência e o treinamento especializado para o abdômen.

Em 1968, Lee já tinha descartado o siu lin tao (pelo menos como esteio do treinamento), e era possível notar uma forte influencia do boxe ocidental (na forma de ganchos, jabs, uppercuts e cruzados).

Por volta de 1970, suas sessões eram exemplos perfeito de treino misto: levantamento de peso para obter força; corrida e ciclismo para aumentar a eficiência cardíaca; alongamento para uma maior flexibilidade; saco de pancada para timing e potência aplicada; speed bag para ritmo e timing. E sacos alto e baixo para treinamento de coordenação e previsão. Além disso, ele dividiu as sessões para se concentrar com mais intensidade em cada aspecto de sua arte marcial, dedicando-se ao treinamento nas mãos nas segundas, quartas e sextas e das pernas nas terças, quintas e nos sábados.

Vale lembrar que as influências clássicas do WingChun já estavam totalmente ausentes da programação. Não há mais treino de formas, exercícios no mookjong nem socos no ar. Os chutes também não se restringem mais aos ângulos baixos enfatizados no WingChun. Não estou insinuando que Lee tivesse perdido ou deixado de lado seus conhecimento desses métodos, que estavam arraigados demais em suas sinapses para que se tornasse inacessíveis. Contudo, os programas de treinamento revelam que, na década de 1970, o interesse de Bruce Lee se voltou para um método muito mais moderno, que incluía treinos complementares para dar apoio ao uso eficaz das técnicas.”

Sequência de treino criada por Bruce lee para seus Alunos.

Objkd

Durante os anos em que Bruce Lee elaborou programas para alunos, acreditava-se que ele criava treinamentos únicos e distintos para cada um deles. Isso n só consumiria muito tempo( o q seria inviável em razão de sua agenda lotada) como também seria desnecessário, já que a pesquisa q Bruce Lee fez da fisiologia humana revelou que temos a mesma fisiologia e, consequentemente, reações semelhantes ao estímulo dos exercícios.

As próprias anotações de Bruce desfaziam esse equívoco. Em alguns casos ele enumerava três ou mais alunos e, na mesma página, indicava para eles programas idênticos de treinamento para cultivar a potência, a flexibilidade, crescimento dos músculos e fortalecimento do antebraço. Por quê? Repito: porque ele descobriu que o estímulo q resultava na reação de um soco mais potente, um antebraço mais forte e o aumento da flexibilidade ou força era universal – aplicável a ele próprio e a qualquer um de seus alunos.

Do superatleta Kareen Abdul-Jabbar, passando pelo campeão mundial de artes marciais Joe Lewis, aos alunos Daniel Lee, Pete Jacobs, Bob Brenner, Jerry Poteet e Steve Golden, tanto o currículo elementar de técnicas de artes marciais como os programas de treinamento complementares eram quase indénticos.

Embora seja que Lee cuidava de cada aluno individualmente, para descobrir quais áreas ele mais precisava a primorar( e então recomendava os exercícios apropriados de teinamento complementar), seu antídoto para deficiência de todos eles nas artes marciais ou no condicionamento provinham da mesma fonte – isto é dos mesmos programas de treinamento complementar que ele mesmo criara e, na maioria dos casos praticava.

SEQUÊNCIA DE TREINAMENTO DE KICKBOXE

1 – Corrida (1 min) – corrida veloz ( cada vez mais veloz) – Caminhada (1 min) em tantas séries quanto for possível

2 – Condicionamento de habilidade

a. Kickboxe sombra – 3 min (1 de descanso) (OBS: descontrair de forma eiciente e economica)

b. Kickboxe sombra – 3 min (1 de descanso) (OBS: esforçar-se – buscar os limites – velocidade/potencia)

c. Corda – 5 min (1 e meio de descanso) (OBS: experimentar toda a extenção do trabalho dos pés)

d. Saco de pancada – 3 min (1 min de descanso) (OBS: socos individuais, mais combinações)

e. Saco de pancada – 3 min ( 1min de descanso) (OBS: Chutes individuais, mais combinações)

f. Saco de pancada leve – 3 min ( OBS: socos individuais mais condicionamento)

g. Kickboxe sombra – 2 min (OBS: Descontrair)

EXERCÍCIOS COMPLEMENTAR DE FLEXIBILIDADE

1.Flexão para frente

2.Alongamento da região lombar

3.Chute alto

4. Elevação lateral da perna

5. Toque no cotovelo

6. Giro da cintura

7. Tesouras alternadas na cadeira

8. Flexões na posição sentada

9. Alongamento das pernas – direto, lateral

10. Posição da ponte arqueada

1 -Chute alto e alongamento 6 -Tesouras alternadas na cadeira

2 -Elevação lateral da perna 7 -Alongamento das pernas (frontal, lateral)

3 -Flexão para frente 8 -Flexões na posição sentada

4 -Toque no cotovelo 9 -Alongamento da região lombar

5 -Giro da cintura

SEQUENCIA BÁSICA DE CONDICIONAMENTO TOTAL

1 -Desenvolvimento de ombro isométrico (fase final)

2 -Desenvolvimento de ombro isométrico (fase final)

3 -Levantar-se na ponta dos pés

4 -Flexão

5 -Agachamento paralelo

6 -Contração dos ombros

7 -Levantamento-terra

8 -Meio agachamento

1.AGACHAMENTO PESADO

Respirar bem fundo três vezes – todo ar q conseguir manter nos pulmões.

Prender o fôlego na terceira vez e agachar-se. Levantar-se o mais rápido possível e expirar

quando estiver quase ereto. Usar carga pesada – Fazer de 12 a 20 repetições.

SOCOS

1 -soco direto – as três escalas

2 -soco com o braço flexionado – as três escalas

CHUTES

1 -chute direto – as três escalas

2 – chute gancho – as três escalas

3 – chute lateral – as três escalas

SEQUÊNCIAS DE TREINO DE FISICULTURISMO

Sequência 1 Sequência 2

a. Agachamento a. Desenvolvimento atrás da nuca

b. Flexão na prancha em supino b. Remo

c. Pullover c. Pescoço

d. Levantamento-terra d. Remada vertical

e. Rosca com dois braços e. Flexão lateral

TREINO DE ANTEBRAÇO/PEGADA

Fazer os exercícios a seguir com extensão e contação completas, mantendo sempre uma boa pegada na barra. Para obter melhores resultados, engrossar a barra enrolando algo ao redor, e acima de tudo, jamais trapacear em nenhum exercício – usar o peso q conseguir aguentar sem tensão desnecessária.

1 -Rosca invertida – 3 séries de 10

2 – Rosca com força na pegada – 3 séries de 10

3 -Rosca sem força na pegada – 3 séries de 10

4 – Rolo de punho – 3 séries de uma subida e uma decida

5 – Giro da barra de apoio – 3 séries de 10

1 – Rosca invertida

2 -Rosca flexora

3 – Rosca extensora

4 -Rolo de punho

5 – Giro da barra de apoio

1 – Rosca invertida – 3 séries de 10

2 – Rosca flexora de pulso – 3 séries de 10

3 – Rosca extensora de pulso – 3 séries de 10

4 – Rolo de punho – quantas vezes for possível

1 – Pegada invertida – 3 séries de 10

2 – Rosca com força na pegada – 3 séries de 10

3 – Rosca sem força na pegada – 3 série de 10

4 – Rolo de punho – 3 séries de uma subida e uma decida

5 -Giro da barra de apoio – 3 séries de 8

SEQUÊNCIA “DESPERTAR”

Diariamente, antes de sair da cama:

1 – Alongamento do corpo inteiro – 5 vezes, mantendo o alongamento por 3s, 2s de descanso.

2 – Arco para trás – 5 vezes

3 – Tensão de perna – 12 vezes, 3seg de tensão, 2s de descanso

4 – Tensão abdominal – 10 vezes, 2s de tensão, 3s de descanso

5 – Abdominal, tocar os dedos dos pés – 5 vezes

6 – Elevações de perna flexionada – 5 vezes

CONDICIONAMENTO FÍSICO ISOMÉTRICO (PARA CRIAR REQUISITOS BÁSICOS)

segunda, quarta e sexta

1 – Flexão baixa

2 – Flexão média

3 – Flexão alta

4 – Flexão na barra até a altura do queixo

5 – Flexão na barra até a altura do peito

6 – Rosca

7 – Rosca invertida

8 – Peitorais

9 – Abdominais

10 – Agachamento médio

CONDICIONAMENTO FÍSICO ISOMÉTRICO FUNCIONAL (PARA APLICAÇÃO MAIS EFICAZ)

terça,quinta e sábado

1- Para cima/para fora

2 – Soco de penetração – baixo, médio e alto

3 – Chute direto – baixo, médio e alto

4 – Chute lateral – baixo, médio e alto

Fonte: OBJKD

Imagem

Postado por: Vinícius Lee

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s