Comentários de Bruce Lee sobre o Caminho Marcial – 8/10

Jeet Kune Do e o Boxe Tailandês

Claro, é um pouco parecido com boxe tailandês, exceto que se você estiver num combate real, nunca haverá um “round três”. Alguém já estará caído no chão.

Arte marcial não deveria ser passada indiscriminadamente. Até agora, eu possuo apenas três assistentes ensinando por mim quando eu não posso estar presente. Taky Kimura, um amigo e assistente de qualidade (e o mais capaz pupilo/professor) por mais de dez anos, ensina ocasionalmente em Seattle. James Lee, um ex-instrutor de gung fu, fechou sua escola e possui um clube em Oakland. E Dan Inosanto ensina como um hobby aqui em sua casa no sul da Califórnia. Tanto Taky quanto James são conhecedores do sistema chinês (de Wing Chun) porque eles me conheceram num estágio mais primário de desenvolvimento e, consequentemente, sempre que eu os encontro, procuro liberá-los de um Caminho para que possam percorrer o caminho sem caminho. Dan, um profissional dedicado, conheceu-me no meio de minha evolução e tem menos treino que James e Taky. Durante os últimos dez anos, a arte marcial chinesa tem ocupado grande parte de meu tempo, ainda que agora eu esteja num novo campo, que é a o campo de interpretação. Meus feitos em artes marciais são bem satisfatórios e a palavra Chinês tem cumprido um enorme papel no ciclo da arte marcial pelo fato de que todos os três atuais campeões estadunidenses de caratê estão estudando sob minha orientação [Chuck Norris, Joe Lewis e Mike Stone].

Eu perdi a fé nas artes clássicas chinesas – ainda que eu chame a minha de chinesa – porque todas as artes, basicamente, são produto do conceito de saber nadar em terra firme; até mesmo a escola de Wing Chun. Então a minha linha de treinamento é mais focado na eficiência da briga de rua onde tudo vale; usando capacete, luvas, protetor para torso, caneleiras e joelheiras etc. Pelos últimos cinco anos, tenho treinado o mais difícil e com um propósito: não apenas efetuar um treinamento de dissipação no ar.Eu nomeei meu estilo de Jeet Kune Do. A razão para eu não permanecer no Wing Chun reside sinceramente no meu sentimento de que o meu estilo tem mais a oferecer no que se refere a eficiência.Para me alcançar, você deve se mover até mim. Sua preparação de ataque me oferece uma confiança direcional para interceptar você.

Eu nunca parei de estudar e de praticar artes marciais. Enquanto eu traço a fonte e a história da arte marcial chinesa, a seguinte questão sempre me aparece: agora que cada linhagem chinesa de gung fu possui a sua própria forma, seu próprio estilo estabelecido, eram essas as intenções verdadeiras do fundador? Eu penso que não. Formalidade pode ser um obstáculo ao progresso; isto é aplicável a qualquer coisa, incluindo Filosofia.

O fundador de qualquer linhagem chinesa de gung fu deve ser mais engenhoso do que o homem comum. Se o legado dele não for carregado por discípulos de mesma engenhosidade, as coisas apenas de formalizarão e ficarão presas num beco sem saída; assim, rompimento e progresso serão conquistas quase impossíveis.

ImagemNem formalidades nem linhagensÉ este entendimento que me faz desistir de tudo que eu aprendi antes sobre formas e formalidade. Na verdade, eu nunca quis dar um nome para o tipo de gung fu chinês que eu inventei, mas mesmo assim eu o chamei de “Jeet Kune Do” por conveniência. No entanto, quero enfatizar que não existe linha de distinção clara entre Jeet Kune Do e qualquer outro tipo de Gung Fu. Eu me oponho fortemente com a formalidade, e com a ideia de ramificações distintas. Insisto mais uma vez, eu não criei ou tenha inventado qualquer tipo de arte marcial. Jeet Kune Do é derivado do que eu aprendi, mais a minha avaliação dele. Assim, meu Jeet Kune Do não se limita por qualquer tipo de artes marciais. Pelo contrário, dou boas-vindas a todas ela para que, como o Jeet Kune Do possa estudá-las e melhorá-las.Desta vez eu interceptado sua tensão emocional. Você vê, no simples ato de socar – desde a cabeça até o punho, quanto tempo é perdido!Jeet Kune Do usa todos os modos, mas não é rotulado por nenhum e, igualmente, usa qualquer técnica ou meios que sirvam à sua finalidade. Eficiência é qualquer coisa que conte.Jeet Kune Do se ajusta ao seu oponente, não há nenhum caminho, ego ou meta.Jeet Kune Do primeiro se preocupa com a sua experiência e não com seus modos de expressão.Como um artista marcial, eu ainda pratico diariamente. Eu treino meus alunos e amigos duas vezes por semana. Não importa se eles são pugilistas ocidentais, estudantes de Tae Kwon Do, ou “Wrestlers”, vou treiná-los enquanto neles houver simpatia e não ficarem tensos. Desde que comecei a praticar de forma realista em 1966 (protetores, luvas, etc), eu sinto que eu tinha muitos preconceitos antes, e eles estão errados. Então eu mudei o nome da essência do meu estudo de Jeet Kune Do.

Jeet Kune Do é apenas um nome. A coisa mais importante é evitar ter preconceito no treinamento. Embora o princípio de boxe é importante, praticidade é ainda mais importante.

A verdadeira observação começa quando a pessoa estiver distinta de padrões fixos.

Liberdade de expressão acontece quando a pessoa estiver além dos sistemas.

Um estilo é uma resposta classificada à pessoa, é uma escolha inclinada.

A verdade não pode ser estruturada ou limitada.

Lembre-se que um artista marcial não é simplesmente um expoente de algumas proezas físicas. Quando ele amadurecer, vai perceber que seu chute lateral realmente não é tanto uma ferramenta para conquistar o seu adversário, mas um ferramenta para explodir através do seu ego e todas as loucuras. Toda a formação que está em volta dele, para ser um homem completo.

A fim de lidar com o que é, é preciso ter a consciência e a flexibilidade do estilo sem estilo. Quando eu digo “estilo sem estilo”, quero dizer, um estilo que tem a totalidade sem parcialidade, em suma, é um círculo sem circunferência onde cada linha concebível está incluída.

Porque, afinal, o adversário é capaz de jogar todas as linhas (em todos os tipos de ritmo quebrado) e se é parcial apenas para lidar com a reta, então ele vai correr em atrito com apenas a linha certa que vai estragar sua reta linha. Vamos lembrar da palavra relacionamento: Para fazer uma técnica é estudar a si mesmo em ação com o adversário, que é o relacionamento.

Como na terra podemos verdadeiramente compreender e sentir o relacionamento se apenas seguirmos a uma linha reta – aqui nós temos apenas o isolamento em uma ideia fechada de uma linha reta, como uma ideia não importa o quão nobre, concentra-se apenas em um aspecto parcial de combate e é justo com o adversário através de uma tela de resistência. É verdade que uma linha reta é definitivamente importante, tomar o pêndulo – a fim de balançar para um lado (o lado favorecido), você precisa iniciar o movimento do outro lado. Por que estamos isolados fora de um lado? Na verdade, por que não olhar para um balanço contínuo como um todo!

A fim de lidar com o que “é”, deve ser equipado com a flexibilidade da linha e encaixar a cada momento, dependendo do que está sendo dado. Tendo as duas metades de um todo, que é a reta e a curva, podemos realmente ter a consciência sem escolha e consciência sem escolha pode levar à reconciliação dos opostos em uma compreensão total de combate em sua busca. Assim, no estágio mais elevado, um está no centro de um círculo e lá ele fica enquanto “sim” e “não” perseguem um ao outro ao redor da circunferência. Pode-se conseguir isso, porque ele abandonou todo pensamento de impor um limite ou tomar partido, ele descansa em uma intuição direta, no qual estará retornando à liberdade original.

Imagem

Combate e Instrução
A instrução deveria incluir os “sparrings” e como, também, o treinamento técnico. Deveria ser dado todo treinamento necessário para cada golpe antes de entrar em um novo estudo.
Como é executado
Porque é executado
Quando é executado
Jeet Kune Do – não é uma arte de massa.De minha arte – Gung Fu e Jeet Kune Do – apenas um dos 10 mil pode lidar com isso. É a arte marcial. Completa arte dos ataques ofensivos. É bobagem pensar que quase qualquer um pode aprender. Não são realmente formas contemporâneas de arte que eu ensino. Principalmente o que eu trabalho com – ataque marcial. É realmente uma expressão rítmica suave de quebrar a cara do outro antes que ele bata em você, com qualquer método disponível.

Imagem

Fechando minhas escolas
Eu ensinava nos EUA. Eu tinha três escolas, uma em Oakland, uma em Seattle, e outra em Los Angeles. E depois eu as fechei. Você sabe, eu passei a ensinar apenas em aulas particulares. Eu não acredito mais em escolas.Eu fechei todas as escolas de Jeet Kune Do, porque é muito fácil um membro entrar e tomar a agenda como “verdade” e o calendário como “caminho”.Problema dos estilosEu não ensino pois eu não acredito mais em estilos. Quero dizer, eu não acredito que exista tal coisa, como, “O modo Chinês” de lutar ou “O modo Japonês” de lutar…ou seja lá qual for o “modo” de lutar, pois a menos que um ser humano tenha três braços e quatro pernas, não pode haver uma forma diferente de lutar. Os estilos tendem a separar as pessoas – pois elas tem suas próprias doutrinas em que tornam-se uma verdade religiosa. Verdades que ninguém pode mudar. Mas, se você não tem estilo, você apenas diz “eis eu aqui, um ser humano. Como eu posso me expressar totalmente e completamente?” Agora veja, nessa caminho você não poderá criar um estilo, pois estilo é uma cristalização. O caminho (oposto do estilo) é um processo de contínuo crescimento.Quero dizer, “estilos” é o tipo de coisa que irá restringi-lo a uma forma de fazê-lo e, portanto, limitar a sua capacidade humana, entende?Um caminho e uma porta de entrada não têm significado ou uso algum, uma vez que o objetivo está à vista.Deixe-me dar um bom exemplo de por que eu não gosto de cultos ou seitas nas artes marciais. Vamos tomar posições. Ok, agora olhe para a forma como uma Garça fica parada em uma perna. Então, suponha que você tenha algo parecido inventado por um aleijado? Em cinco mil anos todo mundo será um aleijado.

Ah Sahm: Por que você faz isso?
Cord: Faço o que?
Ah Sahm: Mastigar vinte e uma vezes, no lado esquerdo de sua mandíbula, vinte e uma vezes à direita, antes de engolir.
Cord: Me ensinaram isso no mosteiro.
Ah Sahm: Serve pra algum propósito?
Cord: É um exercício para a mandíbula. Prepara o estomago para receber o alimento. Extrai a essência de cada garfada.
Ah Sahm: No entanto, um homem faminto, disciplinando-se desta maneira, poderia morrer de fome enquanto ainda conta.

ImagemOrganização Brasileira de Jeet Kune Do (OBJKD)http://www.objkd.com.br/
https://www.facebook.com/OBJKDPostado por: Vinícius Lee

Deixe o seu comentário e divulgue o nosso blog!
Curta a nossa página: http://www.facebook.com/bruceleebr
Siga-nos no Twitter: http://www.twitter.com/#!/brucelee_br
Participe do grupo: http://www.facebook.com/groups/bruceleebrasil

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s